A odontofobia, ou seja, o medo de ir ao dentista, é um problema que provavelmente você já viu em seu consultório. Estudos apontam que cerca de 15 a 20% dos pacientes brasileiros sofrem com a odontofobia.

Geralmente esta fobia está associada a outros medos, como o de agulhas e consultórios, por exemplo. Além disso, um histórico de experiências ruins (pessoais ou próximas) desde a infância também faz com que o paciente associe todos os próximos atendimentos com o sofrimento anterior.

Outra causa comum de incômodo são os estímulos oferecidos pelo ambiente, como luzes fortes, cheiros, instrumentos e sons dos equipamentos. Por fim, saber que possui dentes sensíveis ou que a odontologia oferece alguns procedimentos menos confortáveis também causam ansiedade e medo nos pacientes.

Identificar quem sofre desse mal não é difícil. Sinais de ansiedade como tremedeira, respiração ofegante, suor, tensão e até o choro podem ser percebidos assim que a consulta começa.

Uma das explicações pra que isso seja tão comum é que todo o tratamento é associado aos métodos antigos, que eram mais desconfortáveis e invasivos. Hoje, mesmo com a modernização dos atendimentos e o favorecimento garantido pela tecnologia, algumas pessoas ainda relacionam seus tratamentos com agulhas grossas, desconforto e etc. As crianças consequentemente pegam os mesmos hábitos dos pais, mesmo que sendo atendidas com métodos indolores ou com menos incômodos.

A frequência desses casos faz com que os dentistas busquem recursos para amenizar a situação e ajudar seus pacientes. O primeiro passo a adotar é apostar nos vínculos entre dentista e paciente. Investir em conversas informais, sobre o cotidiano de trabalho, estudos e família, por exemplo, podem ajudar a pessoa ansiosa a desfocar de seus medos. Alie esses assuntos com a explicação sobre o que está fazendo, já que isso ameniza o medo do desconhecido e deixa seu paciente mais tranquilo quanto aos instrumentos que está usando durante o processo.

Investir em um ambiente personalizado também pode te ajudar nessa missão! Seu consultório pode continuar seguro e, ainda assim, contar com uma decoração especial, deixando o ambiente mais aconchegante. O uso de iluminação e cores diferentes, música e climatização confortável podem deixar o clima mais relaxado e descontraído.

Pessoas com mais dificuldade de responder a estes estímulos vem sendo atendidas com sedação, que pode fazer com que o paciente durma ou fique tranquilizado durante o atendimento. Essa sedação é feita com óxido nitroso e oxigênio e pode ser um recurso interessante a ser oferecido em seu consultório.

Vale ressaltar que casos mais sérios devem ser analisados por especialistas. Quando encontrar dificuldades extremas com um paciente, indique que o mesmo busque apoio psicológico ou psiquiátrico para superar seus traumas e ter uma vida mais tranquila e saudável.

Todas as mudanças sugeridas para atender odontofóbicos devem ser encaradas como investimento. Contar com esse diferencial pode mudar sua rotina de atendimentos, já que pacientes que confiam em seus dentistas os indicam para outras pessoas. Ou seja, além de envolver diretamente o faturamento de sua clínica, você garantirá a fidelidade e o bem estar durante sua rotina, deixando o clima mais agradável e efetivo!